setembro 18, 2011

Acorda garota, o mundo não vai esperar você crescer.

agosto 25, 2011


Você conhece uma pessoa, se amiga, se gruda, se ajunta.
Vira duas almas numa só.
Você arruma uma melhor amiga.
Você cuida dela, você sente por ela, chora, ri, até mata se for preciso.
E ai então, sua melhor amiga conhece uma pessoa.
Se amiga, se gruda, se ajunta, vira uma alma, na alma da pessoa.
Se entrega, se deixa levar, se deixa mandar.
E você fica ai, vendo o pedaço da sua alma, caminho pro abismo,
caminho na direção errada.
Você fala, você grita, você chora.
Faz de tudo pra tentar salva-lá, mas ela não te escuta.
Se afasta cada dia mais.
Só o que você pode fazer é deixa-la ir.
E quando ela chegar na ponta do abismo, gritar, com toda sua voz:
- NÃO PULE! POR FAVOR NÃO PULE.
Mesmo sabendo que ela vai pular...
Não tem como, salvar alguém, que não quer ser salvo.
Por mais que doa em você, você tem que deixa-lá pular.
É obrigação, deixar que as pessoas sintam suas próprias dores.
Mesmo tendo a sua como exemplo.
E ai então, quando essa pessoa, que você tanto quer cuidar,
perceber, talvez.
Que não valera ter pulado, você pode ir lá, e ser o bote salva-vidas dela.
Assim você pode salvar, e cuidar, ajudar a colar os pedaços que se quebraram.
Mas enquanto, ela não perceber, que não é como parece ser.
Tudo o que você pode fazer... é deixa-la, deixa-la se afundar no seu abismo.
Deixa-lá se afogar no mar do fim do abismo.

agosto 17, 2011


Você pode até parecer uma mulher, mais você sabe bem...
Por dentro você é apenas uma garotinha.
Que ainda precisa da mãe e dos seus abraços.
Você sabe, e não pode negar.
Só que você não é mais uma garotinha inocente, que não conhece o mundo;
você não é mais uma criança.
E por mais que doa, a realidade agora é essa.
Então aquieta esse coração aqui,
e não tenta destruir o que você levou tanto tempo pra construir.
Por que ninguém, é mais forte do que você,
só você sabe.
Só você sabe o que é ter tudo o que você já foi,
ver tudo o que você já se orgulhou,
desmoronado.
Só você entende essa dor, por que só você sentiu.
Só você conhece, por que só você viu.
Ninguém viu ou sentiu igual.
Por que ninguém é igual a você.
Você viu tudo se perder, e ainda assim, se manteu de pé.
Levando todos os baques que poderia levar.
Só você sentiu.
E só você, se ajudou a te reconstruir.
Então não venha agora, com esse medo bobo,
querer destruir o que finalmente tá dando certo.
Leva tempo sabe?
Leva tempo coração, te deixar inteiro.
Leva tempo pras feridas cicatrizarem, leva tempo.
Você sabe.
Então se aquiete, e curta esse silencio que se estendeu sobre nós dois.

julho 01, 2011

Eu ando tendo tanto medo de as pessoas me machucarem,
que criei um mecanismo de auto - defesa exagerado.
Eu literalmente afasto todos de mim.
O que não é bom, por que eu não gosto de ficar sozinha.
Eu preciso parar de afastar as pessoas de mim, principalmente as que eu gosto, as que eu me importo, as que eu amo.
O problema, é que eu não consigo me ver, da maneira como eu era.
Fui cegada de uma maneira estranha, que não consigo mais lembrar de mim.

maio 18, 2011

"Tá tudo bem. Eu tô bem"
A gente mente tanto, que acaba acreditando.
E na verdade não tá tudo bem, tá tudo uma merda.
E eu tô de saco cheio de tudo, dessa porra toda.
Tô querendo explodir, e levar comigo todo mundo que me estressa e me machuca.
Mais tá tudo bem, eu tô bem.

março 21, 2011

Pitty - Só Agora



Vou ter que deixa-lo ir...

fevereiro 09, 2011

2 A.M.


Não é que faz falta, ou coisa assim.
É que de uma maneira ou outra, você sempre me vem a cabeça.
Não importa quanto tempo passa.
Eu ainda me rendo pelo frio das duas da manhã.
Parece que você nunca vai ser superado totalmente.
Por mais que eu te odeie, deixe de te odiar.
Te adore, te ame, te odeie de novo.
Algo seu ainda permanece em mim.
E isso machuca, as vezes menos.
As vezes mais.
E eu tô tão cansada.
Tô tão cansada de cair nos braços das duas da manhã.
E me lamentar, por pensar em você.
Por lembrar de tudo, e me machucar por tudo o que aconteceu.
Parece que está por debaixo da pele, algo que eu não consigo me livrar.
E que você já se livrou faz tempo.
Eu não queria você de volta, só que não tivesse sido do jeito que foi.
Por que tudo aquilo ainda dói como se fosse hoje.
Se eu dissesse que eu te superei totalmente, meu coração diria amém.
Mas eu me entrego para aquele momento, as duas da manhã.
E meu coração continua quebrado.



Neve cai na cidade
Branco em branco
A cor da esperança
Em uma noite sem perdão
Você me beijou em ruínas
Pecado no pecado
Agora, eu tenho que amar suas cartas
Escritas Na minha pele
Não posso dizer às estrelas
Das luzes do centro
Se eu disser que eu te esqueci
Meu coração vai dizer amém
Mas eu me deixo levar pelo frio das 2AM
Se eu admitir que eu não me acostumo a isso
Meu coração vai partir de novo?
Enquanto eu caio
Nos braços de 2AM

fevereiro 06, 2011


De todos os vários, textos que eu já escrevi pra você;
esse deve ser, o mais sincero,
e o mais machucado.
Ou talvez, seja só mais um.
Não tenho muita certeza.
Não tenho nenhuma certeza depois de tudo.
Também não sei muito bem explicar,
por que o coração chora,
toda vez que pensa em ir embora de uma vez.
Eu juro, que não queria ter que tomar medidas tão extremas.
Mas como eu disse antes, não tenho mais certeza das coisas.
Por que parece que aquele lindo sorriso,
já deixou de ser lindo a tanto tempo.
Por que parece que tudo aquilo,
que dissemos, nunca significou nada.
Por que parece que todo aquele gostar era muito fraco.
Por que agora, tudo parece tão confuso, tão escuro.
Tudo parece tão diferente daquilo que eu achei que conhecia.
O tudo me parece tão pouco agora.
Mas é que, se eu for embora agora, não vai ter mais volta.
E nós nunca vamos saber, se era pra ter sido.
Por que quando se trata de você, tudo se torna tão confuso.
Só que quando começa a machucar...
Acho que quando começa a machucar,
significa que está na hora de ir embora.
Acho que significa que a hora de ir embora, já até passou.
E eu fingi que não vi.
Mas como eu já disse,
não tenho muita certeza.
De quase nada.
Mas acho que, você já se entregou.
Acho que você já foi.

fevereiro 05, 2011


"A dor é uma coisa muito esquisita; ficamos tão desamparados diante dela. É como uma janela que simplesmente se abre conforme seu próprio capricho. O aposento fica frio, e nada podemos fazer senão tremer. Mas abre-se menos cada vez, menos ainda. Um dia nos espantamos por que ela se foi."
- Memórias de uma Gueixa -

fevereiro 03, 2011

Sabe o que é engraçado?
Você pensa que me conhece.
Mas na verdade não sabe da missa, nem sequer a metade.
E é exatamente isso que me diverte.

janeiro 15, 2011

Será?


Não vale mesmo nem sequer um suspiro,
mas me arranca montes e montes deles.
Não entendo esse tamanho poder.
Talvez eu seja obrigada a acreditar,
que estamos mesmo destinados a ficar juntos.
Pois então, se me pertence, por que não fica de uma vez?
Por que não fica, e me tira essa dúvida.
Será você, minha lagosta?


"Você sabe o quanto sou uma tola por você
Você me tem atada entre seus dedos
"

The Cranberries - Linger

janeiro 08, 2011

Cale-se


Pare com essa ladainha,
eu já não aguento mais escutar.
Meus ouvidos doem com o tom de sua voz,
e cada vez que você abre a boca,
sinto um aperto em meu peito,
como deve se sentir uma árvore,
sendo arrancada precocemente de seu canto,
com raiz e tudo.
Me poupe desse teu discurso manjado,
passado e repassado na frente do espelho.
Desculpas esfarrapadas,
histórias mal contadas,
mentiras deslavadas.
Já basta disso tudo.
Suas palavras não possuem mais valor algum.
Então apenas se cale, eu preciso de silencio.