abril 29, 2010


Eu, digo não ao preconceito.
Quem foi que disse?que negro é preto.
Que negro é menos.
Quem foi que disse,
que Judeu faz errado.
Quem foi que disse,
que quem acredita em feitiçaria,
é ruim, é do Demônio.
Quem foi que disse,
que homossexual,
não é normal?
Nós evoluímos,
criamos carros,
televisão a cores.
Metro.
Ónibus.
Liberdade,
mas onde é que ela foi parar?
Não, a gente não tem liberdade.
Não tem liberdade de expressão,
nem de alma.Pois pra mim,
quem tem preconceito,
é tão preconceituoso com si mesmo,
e tão sem liberdade.
Que acha que tem direito de julgar,
quem é diferente.
Como pode um mundo tão evoluído,
estar ainda,
tão atrasado.
Você não deixa de achar lindo o arco-íris,por que ele é colorido.
O mundo é preto, é branco, é amarelo.
É azul, é verde, vermelho.
O mundo é de todos os jeitos.
De todas as formas,
de todos os gostos.
E não deixa de ser bonito.
Diga não ao preconceito você também.
E faça sua alma evoluir ,cada passo,
um pedaço.


OBS: Eu tenho quinze anos, mas eu vejo, e sinto também... Minhas palavras não são influencia, eu sei pensar por mim mesma.
E já não sou mais uma criança, e minha vontade é gritar pro mundo. Eu também tenho direitos, eu tenho, ela tem, você tem, ele tem, todos tem. Por isso, quando digo que todos nós temos direitos, me refiro também ao direito, de ser quem é, como é, gay, lésbica, negro ou branco, católico ou evagelico, espirita ou não. Nossas religiões, cor, ou opção sexual, não mudam quem somos no final. O que faz nós sermos diferentes de verdade é a nossa personalidade, então... acho que é isso. Queria que pudesse fazer com que todos se concientizassem com isso.

abril 17, 2010


Quero asas.
Virar anjo bom, bonito.
Sair do chão,
olhar pra cima.
Quero asas.
E uma voz de criança bem bonita
Pra faze-los me escutar
como aquela vozinha na cabeça.
Quero ser anjinho da guarda
Quero salva-los
Quero libertar-te
Quero você em paz.
Quero asas,
pra voar.
Me fazer livre,
me esquecer de tudo.
Eu queria asas,
eu queria muda-los...
Mas não posso.
Por que não sou anjinho deles;
e não sei mais como voar.


abril 16, 2010

Eu não sei como saber,
entender o que seu olhar quer dizer.
E tudo o que eu mais quero,
é sorrir para ti.
Mas eu não consigo...
Tenho medo, do apego.
Desse meu apegar por esse olhar,
que nem me pertençe.
Mas que quando não está...
Ah, me mata.
Me mata quando esses olhos,
lutam pra não encontrar os meus.
E eu queria falar contigo.
Mas tenho medo.
E estou tão cansada de tentar me proteger...
Oh, eu estou tão cansada,
de olhar-te e não entender
de procurar e não te ver
de ter tanto medo.
Me proteger do que nem aconteceu ainda.
Por tanta cicatriz nesse meu coração novo.
Quero perder esse controle,
quero cometer esse erro.
Mas...
eu não tenho coragem,
de mais nada.

abril 15, 2010


Vire seus olhos em minha direção
outra vez.
Eu preciso ve-los,
pra tentar resisitir.
A essa tentação de beijar sua boca.
Por que eu não te conheço,
e a gente não se apaixona por desconhecidos, certo?
Então, deixe-me conhecer seus olhos,
olhar tua boca,
para ter só mais uma,
desculpa pra te querer
só pra poder te ver,
sem culpa.
Sem medo,
sem vergonha.
E te encarar, até você ficar sem graça
Pra ver, se você me vê.
Se você me lê.

Selinhos

Eu recebi este selinho faz algum tempo, mas como eu não seguia muitas pessoas, não sabia para quem passar.
Quem me passou foi a Mile do Gaveta Aberta
Lá ela dizia que a pessoa que passou a ela, disse que ela tinha que contar um momento feliz e passar para dez pessoas. Mas eu sou nova demais para definir um só momento feliz. Por que apesar dos altos e baixos, tendo minha mãe, meu pai, minha familia, e o amor deles, então todos os momentos são felizes para mim, sendo assim, pulo essa parte. Nao serão dez... isso posso afirmar.
Passo para:
Recebi este selinho hoje, da Yasmine, estou muito agradecida.

Repasso para:
Minha mãe liinda. *-*

abril 10, 2010


Não.
Eu não perdoei, e eu não esqueci.
E eu não superei.
E no meio de tudo isso, onde é que eu fui parar?
Como foi que me deixei perder desse jeito;
Eu passei um ano tentando me consertar, e me fazendo pensar que estava tudo bem.
Que o ódio, o ódio ia passar.
Mas ele não passou, e eu não perdoei.
Eu gosto das pessoas mais impossíveis, aquelas que eu tenho certeza que não vão acontecer.
Pra me manter segura, e eu não quero mais me manter segura.
Eu quero esquecer, apagar. Eu quero ser eu de novo.
Eu quero me ter, e me jogar sem medo.
Sorrir pro garoto que eu acho lindo na escola, quando ele olha pra mim.
Eu quero ter coragem de novo.
Eu queria ter a coragem pra admitir que não, eu não estou bem.
Eu não me achei ainda, eu não estou livre ainda.
Quero parar de ter ódio, até de quem não teve nada a ver.
Deixar o vento levar, toda essa magoa.
Mas eu estou conseguido dar um passo na frente do outro, eu sei.
Só que, eu preciso de ajuda aqui.
Eu quero voltar a olhar para as pessoas que não gostam de mim e sorrir, abraça-las, e deixarem elas com cara de tacho na frente de todo mundo. Por que eu vou estar sendo simpática, e ela a sem motivo.
Eu quero ser assim de novo.
Eu vou ser, eu desabafei.
Eu estou seguindo em frente. É, eu estou, me sentindo mais livre, por ter deixado sair.
Por ter jogado pra fora a verdade.
Eu ainda não superei, mas estou chegando lá.
Estou deixando ele no capitulo atrás, por que esse não vai ser o ultimo, e nem o mais difícil.
Eu estou seguindo em frente, sem peso nenhum.
É, eu estou

abril 08, 2010


Joguei o pensamento ao vento,
só pra ver se ele te encontra,
e traz você pra mim.
É que eu já me cansei do meu vazio.
Já me cansei de só olhar, de não fazer parte.
Eu quero estar dentro também, eu quero estar junto.
Quero que você pare de só olhar também,
quero que faça parte.
Quero te ter bem aqui, perto de mim.
Bem aqui, ao meu lado;
me abraçando no frio.

abril 07, 2010


E eu nem sei o seu nome.
Mas quando te vejo...
Seus olhos, me fazem esquece-lo.
Acho que talvez, tenha me conquistado.
Mas eu nem sei o seu nome.
Eu quero estar contigo...
Mas nem sei seu nome.